A prova masculina do triathlon na Olimpíada de Tóquio 2021 foi de arrepiar. Como já esperado, foi disputadíssima do começo ao fim, e vencida nos quilômetros finais da corrida. Para nós, amantes do esporte, este evento cumpriu com seu papel de sempre: quase 2 horas de muita torcida, admiração e surpresa com o nível dos atletas.
Passada a euforia, vamos destrinchar o pódio, fazendo uma análise do histórico de Kristian Blummenfelt (ouro pela Noruega), Alex Yee (prata pela Grã Bretanha) e Hayden Wilde (bronze pela Nova Zelândia). Hoje, falaremos destes três, que foram os primeiros colocados entre os homens. Na sequência, será a vez de contar um pouco mais sobre as medalhistas da prova feminina. Vamos ao raio X:
  • Bronze | Hayden Wilde (Nova Zelândia)
Um pouco antes de completar 24 anos, o neozelandês já consegue um baita resultado com essa 3ª colocação em Tóquio, e ainda tem um futuro promissor pela frente. Se destacou bastante em competições off-road antes de migrar para o asfalto, com vitórias em provas icônicas como Coast to Coast e bicampeão do campeonato mundial do circuito XTERRA na categoria (menos de 19 anos).
Ainda olhando para o retrovisor, mas agora já no asfalto, dá para perceber que esse pódio foi construído em cima de uma carreira que, embora ainda curta (são apenas 3 anos largando em provas do circuito ITU), se revela bem consistente e em ascensão até aqui. Antes de ir para Tóquio, ele ocupava o 15º lugar no ranking individual da ITU e 1º no ranking continental. No total, são 48 largadas em provas com a chancela da ITU, com 9 pódios e 1 vitória.  Dá uma olhada nos resultados mais recentes do neozelandês:
  • Prata | Alex Yee (Grã Bretanha)
Se a pouca idade de Hayden Wilde já chama atenção, o britânico Alex Yee nos impressiona ainda mais. Nascido em 1998, ele fez 23 anos este ano, e já tem um currículo de dar inveja em muito campeão. Triatleta mas com pinta de corredor, Yee tem o 2º melhor tempo da história de seu país nos 5km: 13 minutos e 26 segundos (incríveis 2’41” por quilômetro, ou 22,33km/h de média). Seu melhor tempo nos 10km também é digno de nota: 27 minutos e 51 segundos, na temporada de 2019.
Juntando essa corrida com a natação e o pedal, Yee coleciona excelentes resultados em sua ainda recente carreira. Ele já largou em 25 provas com a chancela da ITU: foi pódio em 9 delas, e ganhou 4. Com essa bagagem, a prata em Tóquio com certeza fez jus ao que o britânico vem conquistando. Por ter só 23 anos, com certeza Alex Yee chegará a Paris como um dos grandes favoritos ao ouro em 2024. E tem fortes chances de chegar no mesmo nível em Los Angeles, se ainda estiver focado na curta distância. Ou seja, se mantiver a toada, ele tem grandes chances de se igualar ao seu compatriota Alistair Browlee – que é bicampeão olímpico – e ainda ultrapassá-lo com uma prata a mais.
Yee é um nome que já esperávamos brilhar em Tóquio. E que nos gera uma expectativa de que ainda há mais por vir. Veja os resultados recentes do jovem britânico:
  • Ouro | Kristian Blummenfelt (Noruega)
Kristian Blummenfelt é uma máquina. Com 27 anos, o norueguês já deixa seu nome na história do triathlon. E, como mostraremos aqui, o ouro olímpico é só uma parte (importantíssima, claro) deste processo, de uma carreira que começou na elite há pouco mais de 8 anos.
Para começo de conversa, Blummenfelt é um atleta extremamente versátil. Hoje, é quem melhor combina a distância curta com a média distância no circuito masculino, já que é atual campeão olímpico e também atual recordista da meia distância (1900m natação / 90km ciclismo / 21,1km corrida) com o tempo de 3:25:21. Destrinchando este recorde específico, suas parciais são de cair o queixo: natação em 22:26 | ciclismo em 1:52:03 | corrida em 1:07:00.
Já que estamos falando sobre meia distância, precisamos dizer que Blummenfelt praticamente reina no Bahrain. Ele é Tricampeão do Ironman 70.3 Bahrain. Desde 2017, o título dessa competição não saiu das mãos do norueguês. Detalhe: em 2018 ele bateu o recorde mundial exatamente nessa prova. E, em 2019, derrubou em mais de 5 minutos seu próprio recorde, também no Bahrain.
Agora, Blummenfelt promete também deixar seu nome gravado na história da longa distância do triathlon mundial. Ele é um dos nomes do projeto Pho3nix Sub7, que reúne atletas que prometem romper a barreira das 7 horas na distância full (3800m natação / 180km ciclismo / 42,2km corrida). O atual melhor tempo desta distância foi conquistado por Jan Frodeno, há pouco mais de um mês durante o evento Tri Battle, e é 7h27’53”.
No circuito ITU, Blummenfelt soma 72 largadas ao todo, sendo 29 pódios e 13 vitórias. Deste pódio, o norueguês é o único que esteve na Olimpíada do Rio em 2016, ficando com o 13º lugar na época. Confira os resultados mais recentes da máquina, Kristian Blummenfelt no circuito ITU:

 

Comentários

comentários