Triathlon limpo: Diga NÃO ao vácuo ilegal!

O Triathlon sempre foi um esporte se superação e rompimento dos limites. Seja no Triathlon com vácuo ou no Triathlon sem vácuo, o cumprimento das regras, o respeito ao próximo e o espírito esportivo sempre foram parte da ética dos triatletas. Infelizmente, nas provas nas quais o vácuo não é permitido, as regras tem sido deixadas de lado, seja por atletas amadores e da elite que insistem em quebrá-la, sem a punição por parte de fiscais mal preparados ou coniventes que permitem que isso aconteça.

Se observarmos o conceito de doping da Agência Mundial Antidoping (WADA) observamos que um tipo de doping é o comportamento injusto (unfair) e é exatamente aí que o vácuo ilegal se encaixa. Além de distorcer resultados e frustrar expectativas, sua prática indiscriminada fere um dos objetivos centrais do esporte,a construção de indivíduos íntegros e corretos.

O que nos preocupa ainda mais são as proporções que esse problema tem atingido. Desde provas pequenas a grandes competições de longa distância isso tem ocorrido. Da mesma forma, de iniciantes a profissionais se entregam ao ganho fácil do vácuo ilegal, enquanto outros se esforçam muito mais. Isso não é justo e pode ser muito perigoso.

Provas com vácuo são realizadas com equipamentos adequados para tanto, já as provas sem vácuo costumam permitir qualquer tipo de equipamento. Logo, o vácuo com equipamentos inadequados coloca em risco a integridade física dos competidores, o que é inaceitável.

Que fique bem claro também nossa posição de que não há absolutamente nada de errado em andar no vácuo nas provas permitidas e que essas provas são tão belas e importantes quanto as provas sem vácuo, cada uma à sua maneira.

O vácuo ilegal não só impacta os atletas, mas como pode fazer com que os praticantes de nosso esporte diminuam drasticamente, desanimados pela falta de respeito a regras. Já convivemos com muito desrespeito em nossas vidas e não podemos deixar que isso contamine o esporte, pois aí perde-se a essência, a chama, a razão pela qual “competimos” e não “lutamos”.

Cabe a todos os envolvidos com o Triathlon zelarem pelo cumprimento das regras: atletas, organizadores, árbitros, público e todos os demais que possam contribuir. Dessa forma, todos que apóiam esse manifesto se comprometem a:

– Criar mais provas com percursos desafiadores, que inibam o vácuo ilegal;

– Adotar uma postura de tolerância zero, seja do ponto de vista do número de punições, seja do ponto de vista de sua severidade ;

– Denunciar, relatar e indicar comportamentos flagrantemente contrários à ética esportiva no que se refere ao vácuo ilegal;

– Colaborar para o desenvolvimento de controles e tecnologias para o controle do vácuo ilegal;

– Agir honestamente e eticamente nas provas sem vácuo legal;

– Reforçar os valores, a ética e os princípios do esporte no Triathlon;

– Trabalhar para conscientização dos envolvidos com o Triathlon para a questão do vácuo ilegal e seus efeitos sobre o esporte.