O que levar na bike durante o Ironman Brasil?

Em 07 mai 2012

    Em qualquer Triathlon, de qualquer distância, você vai passar a maior parte da prova em cima de sua bicicleta. Em um Ironman, isso significa que boa parte do seu dia será com sua magrela, algo entre 4h30min e 8h de prova.

    A bike, em uma disputa longa, é a chave para uma prova equilibrada e uma corrida forte. Boa parte das calorias e nutrientes que você consumirá na competição será durante os 180km pela Ilha de Florianópolis. É provável e desejável que você já saiba o que vai consumir, por isso não vamos abordar a questão nutricional, que já deve estar definida com seu treinador e nutricionista. A questão aqui é como levar suas coisas na bike. E mais: vale a pena usar o special needs di ciclismo?

    No que se refere à hidratação (água e sports drinks), há, basicamente, quatro opções para levar na bike:

     1. Garrafas no quadro

     

    As bikes de Triathlon, normalmente, só possuem um suporte de caramanhola

    É possível fazer um Ironman usando apenas os dois suportes de caramanholas do quadro, afinal, há postos de hidratação a cada 15km ou menos. Você pode trocá-las facilmente por caramanholas de água e Gatorade, fornecidas na prova. O problema é que a maioria dos quadros modernos de Triathlon comporta apenas uma garrafinha, então você precisará de, pelo menos, mais uma opção.

    2. Aerodrink / jetstream

    Os aerodrinks são muito populares entre os triatletas

    Sistema de hidratação mais popular no Triathlon, onde uma garrafa aerodinâmica vai no meio do clip. A grande vantagem aqui é que você não precisa tirar as mãos do guidão para se hidratar. Além disso, o canudo fica bem na sua frente, lembrando-o da hidratação o tempo todo. A desvantagem é que, quando o líquido acabar, você terá que encher o recipiente. A melhor forma de fazer isso é apertar uma caramanhola, tarefa que pode ser complicada após algumas dezenas de quilômetros. Se você já está acostumado a ele, a combinação aerodrink/garrafa no quadro funciona muito bem.

    3. Garrafas torpedo (deitadas no clip)

    As garrafas no clip estão cada vez mais populares

    Essa é a forma mais aerodinâmica de se levar a hidratação, conforme o estudo realizado pela fabricante de bicicletas Cervélo. Tem-se ainda a vantagem da troca rápida de garrafas, como se fossem dois suportes no quadro. O que muitos atletas não gostam nesse sistema é o medo da garrafa cair em quebra-molas (o que raramente acontece com um suporte adequado) e, principalmente, a necessidade de se tirar a mão do clip para a hidratação. A maioria dos triatletas amadores de ponta se utiliza desse sistema e uma garrafa no quadro.

     4. Garrafas atrás do selim

    Vale lembrar que o recorde do pedal no Ironman do Havaí, estabelecido por Normann Stalder (ALE) em 2006, foi estabelecido com duas garrafas atrás do selim

    Essa é a opção que gera maior arrasto aerodinâmico, sem falar que é a mais difícil para se alcançar e trocar. Em geral, os atletas preferem usar o espaço atrás do selim para levar pneus, câmaras, cartuchos de CO2 etc.

    É comum ver atletas saindo da transição com 4 garrafas ou mais em suas bikes caríssimas leves e cheias de recursos aerodinâmicos. Ao fazer isso você está jogando fora todo o investimento feito na sua preciosa magrela. Do que adianta um par de rodas super aero se você está carregando 4kg só de água atrás do selim, onde o arrasto é maximizado? A estrutura da prova é para ser usada. Ao todo, são 7 postos de hidratação ao longo dos 180km de pedal com 16 passagens por eles. Isso dá um ponto a cada 11,25km! Mesmo se você for devagar não gastará mais do que 30 minutos para chegar ao próximo posto caso perca a passagem em um anterior. Duas caramanholas são mais do que suficientes para a grande maioria dos atletas fazer um Ironman (claro, você terá que reabastecer!). O tempo perdido nos postos de hidratação é menor que o tempo perdido com as garrafinhas a mais na bike. Há, no entanto, casos especiais, com atletas com necessidades nutricionais específicas (diabéticos, por exemplo). Nesses casos, justifica-se o uso de mais de duas caramanholas.

    Outra questão importante é como você vai levar sua alimentação (géis, barras, capsulas de sal etc.) durante o pedal. Nove em cada 10 triatletas usam uma “bento box” durante um Ironman. É fácil de acessar e muito prático, além de caber muita coisa. Provavelmente, uma dessas não caberá toda sua alimentação, que também pode ser presa no quadro (funciona bem com os géis) ou ainda ser colocada nos bolsos do top ou bermuda.

    Detalhe da Bento Box cheia de alimentos

    Para resolver o problema de levar toda a alimentação durante o pedal, há a sacola do special needs da bike. Até 2010, o special needs estava disponível no km 90 do ciclismo. EM 20121 e 2012 HOUVE UMA MUDANÇA IMPORTANTE: O SPECIAL NEEDS ESTARÁ DISPONÍVEL NO KM 41 (PRIMEIRA VOLTA) E NO KM 129 (SEGUNDA VOLTA). Assim, você pode se programar para reabastecer em um desses pontos.

    Vale lembrar que, devido à quantidade de atletas e ao regulameto, você terá que parar por alguns minutos para pegar sua sacola de special needs. Para alguns, isso significa um descanso revigorante; para outros, a perda de ritmo e o esfriamento dos músculos. Saiba exatamente onde vai guardar cada item do special needs. Ele serve ainda como uma reserva, caso você perca alguns de seus alimentos.

    Cabe a você avaliar qual estratégia vale mais a pena no seu caso específico. Atletas rápidos, que disputam pódios e vagas para Kona, tendem a levar todos os nutrientes consigo desde a T1, deixando o special needs como um backup (confira amanhã no MundoTRI como organizar suas sacolas de ciclismo e veja aqui como organizar suas sacolas para a natação).

    Por fim, você ainda tem que levar seus pneus (tubular) ou câmaras (clincher), cartuchos de CO2, espátulas e pit stop caso aconteça algum imprevisto. A melhor forma de transportar esse equipamento é colocá-lo atrás do selim ou no canote, presos com fita ou em suportes específicos, como os da X-Lab. Não vá para a prova sem isso, pois imprevistos acontecem e você pode ficar dezena de minutos esperando o suporte técnico da prova.

    Pneu colado no canote

    Na próxima semana, mostraremos aqui no MundoTRI o que verificar em sua bike na checagem final antes de embarcar para Florianópolis.

    Mantenha as coisas simples e vemo-nos na linha de chegada!

    Veja também:

    > O que deixar em suas sacolas de transição no Ironman Brasil? Parte 1: a Natação

    > O que deixar em suas sacolas de transição no Ironman Brasil? Parte 2: a Bike

    > Checklist para provas de Triathlon MundoTRI

    > As instruções oficiais da prova

     

    Comentários

    comentários


    Curta também nossa fanpage no facebook para receber mais novidades: facebook.com/mundotri

    Leia mais sobre esse assunto